Bugs, bugs e mais bugs. Pior que um jogo da Bethesda!

Outro enorme problema de Pathfinder: Kingmaker são os seus bugs que fazem Skyrim parecer um jogo estável. Desde equipamento a não funcionar como devia, a habilidades que em vez de darem bónus dão penalidades, a lançamentos de dados que conseguem vender dificuldades impossíveis (exemplo: um lançamento de 1d20+14 conseguiu vencer DC de 36 sem tirar um 20 no resultado do dado). No último capítulo do jogo, cheguei mesmo a ver no log erros a aparecer constantemente, descritos como “Missing_Key_3vsef4wc” e coisas do género.

É verdade que a Owlcat Games tem vindo a lançar patches constantemente, corrigindo muitos erros e originando outros tantos. E tem-no feito a um ritmo impressionante. Contudo, estão a corrigir o jogo ‘às partes’, estando sensivelmente a meio, em vez de corrigirem os erros reportados. Ou seja, ter reportado o erro que vi aparecer no log deu-lhes informação de algo que têm de corrigir mas no qual não vão pegar tão cedo porque apareceram nos últimos mapas do jogo.

Tudo isto leva a uma conclusão:

 

Pathfinder: Kingmaker ainda está em beta!

Por mais que o tenham lançado oficialmente, o jogo tem tantos problemas que não pode ser considerado como um jogo terminado. Ainda bem que nem peguei nele no início pois só posso deduzir que ainda estaria numa espécie de ‘alpha final’. A maneira como corrigem as patches, o facto de ainda nem terem tocado na dificuldade do jogo, de só há um mês terem corrigido algo tão básico como ver os bónus que as receitas cozinhadas durante o descanso dão no momento em que as escolhemos, não deixa outra conclusão. A quantidade de erros e problemas é tanta, tão transversal a quase tudo do jogo, que nunca na vida poderiam ter olhado para aquilo e pensado “o jogo está terminado, agora são poucos detalhes a acertar” – altura em que sim, se pode lançar um jogo e cobrar 40€ ou mais por ele.

Agora a Owlcat Games compreende bem o estado em que o seu jogo está e sim continuam a investir nele. Só por isso merecem respeito e foi por esta razão que o continuei a jogar para além do capítulo 4. Mas deviam acelerar muito mais o ritmo das correcções, em vez de se preocuparem em DLCs que já começaram a lançar. O jogo ainda não está equilibrado e querem adicionar mais conteúdo novo, algum dele que já teve de ser corrigido na última patch? Quem sabe, daqui a uns meses Kingmaker estará sólido, com a maioria dos problemas corrigidos. Contudo, não voltarei a pegar nele.

Pathfinder: Kingmaker está tão mau e penoso que comparar isto a clássicos como Baldur’s Gate ou a RPGs de d20 mais recentes como Neverwinter Nights 2, é um insulto a esses bons RPGs. Se querem um RPG, aconselho seriamente a procurar outro nem que seja um indie. Terá menos problemas do que este. Ou esperem por mais uns meses, deverá estar melhor nessa altura.

 

Leva 1/10 por estar mau num todo. Se só jogarem os 3 primeiros capítulos, como já foram corrigidos em boa parte, então lá sobe para um 5/10. Mas esses são meramente metade do jogo.

1
2
3
4
5
6
7
REVIEW GERAL
Avaliação Pessoal
1
Engenheiro de profissão e gamer por gosto, João Paulo adora boardgames, RPGs de mesa e computador, RTS e shooters e olha para jogos para uma excelente forma de arte, transmitir emoções e contar histórias fenomenais.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.