Remothered Tormented Fathers

Remothered: Tormented Fathers é um dos mais recentes títulos de horror, inspirado em jogos como Amnesia: The Dark Descent onde as únicas opções é esconder e fugir, ao mesmo tempo que investigamos e exploramos o ambiente em que nos encontramos.

Em Remothered tomamos controlo de Rosemary Reed, uma mulher enigmática que começa a investigar o desaparecimento de uma rapariga, Celeste. Para isso visita Dr. Felton, o pai de Celeste e que sofre de uma estranha doença que nenhum hospital conseguiu explicar. Isolado numa gigantesca mansão onde vive sozinho com a sua mulher Arianna e a sua enfermeira Glora, Felton rapidamente se mostra como sendo alguém muito doente e desequilibrado. Quando Rosemary revela as suas verdadeiras intenções, vê-se expulsa da casa e a ter de entrar às escondidas. Pouco sabia que estaria a entrar num verdadeiro covil de terror de onde terá de escapar com vida e com informações sobre Celeste.

 

Um bom ambiente de horror

Remothered: Tormented Fathers é um jogo que consegue realmente emergir-nos num verdadeiro ambiente de horror. O constante suspense, de medo e de terror ao virar da esquina está sempre presente e bem carregado pelo detalhe gráfico da mansão, iluminação fraca dos pequenos candeeiros e súbitos relâmpagos, e pela excelente banda sonora.

A mansão em si é claramente velha e pouco cuidada, cheia de tralha e móveis antigos. Ao longo do jogo, sons de passos podem ser ouvidos sem verdadeiramente percebermos se estão próximos ou no andar de cima, o que ajuda a manter o ambiente de horror já que não somos bem recebidos na casa.

É neste ambiente que teremos de procurar provas do desaparecimento de Celeste e descobrir toda uma história ainda mais macabra que envolve os habitantes da casa. E estas podem estar dentro de armários, penduradas nas paredes, etc. É importante olhara para todos os detalhes.

É igualmente importante memorizar locais onde nos pudemos esconder. Todo o jogo decorre na mesma mansão e visitamos as mesmas salas livremente e várias vezes no decorrer do jogo. E apesar do jogo nos dar acesso a objectos para defesa pessoal, estes apenas servem para parar os inimigos durante uns poucos segundos. O essencial é fugir e esconder, logo saber onde nos pudemos esconder é vital.

Este é um dos grandes problemas do jogo, a meu ver. Repetir constantemente as mesmas salas acaba por tornar-se repetitivo e monótono.

Outro dos pontos fortes é o enredo do jogo, que embora tenha pontas soltas que só vão ser exploradas nas sequelas, a principal e que dá o título a ele, é bastante boa e leva-nos a explorar distúrbios mentais e o impacto que estes têm no desenvolvimento familiar.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.