Outra grande mudança foi na expansão. Deixa de haver a necessidade de gerir ‘outposts’ e a ‘influência’ que eles gastavam, e as próprias fronteiras deixam de expandir de forma quase arbitrária. Agora pode-se construir um número infinito de ‘bases espaciais’ e são estas que tomam controlo do sistema (custam influência mas apenas na sua construção, nunca na sua manutenção). Estas bases espaciais nunca podem ser destruídas, em vez disso se atacadas e o seu poder for reduzido a 0, elas passam a ser controladas pelo atacante.

Claro que há forma de impedir isso: fazendo upgrade dessas mesmas bases, torna-las em gigantescas cidades ou fortalezas espaciais. É destas estações melhoradas que pudemos construir naves de guerra. E embora se tenha perdido a opção de construir plataformas de defesa em qualquer lado do sistema solar, estas estações podem construí-las à sua volta, ficando autênticos fortes capazes de evitar, por conta própria, invasões inimigas ou pelo menos até a frota chegar.

Infelizmente, as bases espaciais só podem ser construídas no centro do sistema solar e o alcance das suas armas é bastante pequeno. Isso significa que é possível ignora-las passando à volta. É certo que o sistema não é tomado, mas assim pode-se atacar outros alvos sem ter de passar por esse ponto de defesa.

Falando em frota, também houve mudanças importantes nesse ponto. Deixa de ser possível ter uma frota gigante, ao existir um limite para o número de naves que se pode ter em cada frota. Almirantes tornam-se assim bem mais importantes, já que teremos de dividir a nossa força militar. E com a limitação das hyperlanes, em Apocalypse é ainda mais importante ter várias frotas dispersas pelo império, por forma a responder às várias ameaças.

A forma como se faz guerra também mudou com Apocalypse. Deixa de ser possível usar ‘controlo de planeta’ como motivo de guerra sem antes ter reclamado o sistema desse planeta para si, criando tensão diplomática. Reclamar um sistema fornece-nos Cassus Belli contra o alvo. Existem também outras maneira de obter estes Cassus Bellis. Para quem joga Europa Universalis IV, este conceito é comum. Juntamente com ele veio também uma grande ‘exaustão de guerra’ quando se ataca sem cassus belli, tornando tais guerras muito difíceis e altamente dispendiosas.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.