Lançado em Novembro de 2014, Tales from the Borderlands é mais um excelente jogo lançado pela Telltale Games em parceria com a Gearbox e a 2k Games. Tales from the Borderlands é um jogo constituído por 5 diferentes episódios, lançados ao longo de 2 anos, que segue o mesmo estilo que outros jogos da Telltale Games (como é o caso de The Walking Dead, The Wolf Among Us e Game of Thrones): um jogo point-and-click de aventura gráfica onde o jogador tem de tomar decisões que determinam e mudam a forma como a história do jogo é contada.

Tales from the Borderlands serve de continuação para a saga Borderlands, da Gearbox e 2K Games, fornecendo aos fãs toda uma experiência diferente daquela a que a saga Borderlands já nos tinha habituado. Aqui o jogador controla duas personagens: Rhys, um empregado da corporação Hyperion, e Fiona, uma vigarista, cada uma destas com os seus amigos, familiares e rivais. Juntos, o jogador terá de enfrentar inumeros desafios e situações difíceis sem puder recorrer às inúmeras armas e escudos que em Borderlands eram tão comuns, tudo com o intuíto de conseguir chegar a um Vault (um cofre extra-dimensional que contém inumeras riquezas e valiosas armas) – tal como já acontecia com todos os jogos da saga Borderlands.

 

A história

Tales from the Borderlands começa como muitas histórias começam: uma desavença. Quando Rhys, juntamente com os seus amigos Vaughn e Yvette, esperavam subir na “cadeira alimentar” da corporação Hyperion, eis que aparece um rival, Hugo Vasquez, que não só impede a promoção como despromove Rhys. Revoltado, Rhys usa as suas habilidades de hacker para descobrir um negócio secreto de Vasquez que envolve usar 10 milhões de dollars da companhia para comprar uma chave para um Vault. Embora 10 milhões seja muito dinheiro, a companhia está disposta a fazer de tudo por uma chave pelo que Rhys e Vaughn vêm nesse negócio a oportunidade não só de serem promovidos como de humilhar Vasquez. Decidem então tomar o seu lugar e descer até ao planeta Pandora, o planeta onde tudo é agressivo, bandidos percorrem as ruas, e psicopatas removem a face de corpos para as usarem como máscaras.

O negócio, contudo, era uma farsa criada por Fiona, a sua irmã Sasha, e o seu mentor Felix. E fácilmente o negócio corre mal. A chave falsa é destruída e o dinheiro perdido. Na tentativa (falhada) de recuperarem o dinheiro, o grupo acaba por descobrir um projecto abandonado denominado de Gortys. O seu propósito: descobrir a localização de um Vault e abri-lo.

Contra a sua vontade, o grupo vê-se forçado a descobrir mais sobre o projecto Gortys quando descobrem que a maior Senhora do Crime de Pandora, Valorie, estava envolvida no negócio e que ficou muito desagradada por ter perdido 10 milhões de dollars. A sua única esperança de se manterem vivos em Pandora, é tentar encontrar o Vault e usa-lo não só para se defenderem de Valorie como para recuperarem a devida promoção na corporação Hyperion. Para dificultar ainda mais a situação, Rhys acidentalmente insere nos seus implantes cibernéticos uma versão digital de Handsome Jack, o maior vilão, assassino e antagonista da saga Borderlands, outrora líder da companhia Hyperion.

Através de longos dias, o grupo vê-se forçado a lutar pela sua vida sem grandes meios de sobrevivência excepto a sorte e a capacidade de se desenrascarem e dialogarem (algo que por sua vez também os coloca em muitas outras dificuldades), recorrendo a aliados e fazendo muitos inimigos durante toda a aventura.

Handsome Jack presente mesmo em Tales from the Borderlands